Energia

Para reduzir emissões, Canadá planeja fechar todas as usinas de carvão

A medida deve ajudar a reduzir as emissões anuais do país em 61 megatoneladas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Poluição em Edmonton, Alberta, no Canadá. Crédito: Creative commons/Bill Burris

 

Comentário Akatu: é muito positiva a substituição das energias fósseis (como a do carvão) pelas renováveis - como a solar e a eólica -, que são limpas e não emitem gases de efeito estufa, os grandes causadores das Mudanças Climáticas no mundo. Iniciativas como a do Canadá derivam provavelmente da pressão dos cidadãos nessa direção, conscientes da importância do combate ao aquecimento global. No caso brasileiro, nos últimos anos, seguiu-se na direção oposta a essa, tendo-se aumentado o percentual de energia gerada por termoelétricas movidas a combustíveis fósseis relativamente à energia hidroelétrica, solar ou eólica, mais limpas e com muito menor impacto sobre as mudanças climáticas. Nesse sentido, a iniciativa canadense serve de exemplo para os cidadãos brasileiros que poderiam demandar do governo federal que houvesse um esforço contínuo na direção de reduzir a geração termoelétrica de energia. Quando isto acontecer, os cidadãos poderão prestigiar as instâncias políticas que levaram a tal ação de modo a valorizar a ação pública positiva e não apenas criticar a negativa.

 

O compromisso global do Canadá é de reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030, comparado ao que era emitido em 2005. Para alcançar este objetivo, o governo já havia anunciado medidas no setor energético. A principal medida para isso é fechar as usinas de carvão, uma fonte importante para o país.

Apesar de já ser uma proposta antiga, inicialmente o prazo para o fechamento das usinas era até 2040. No entanto, no final de novembro, a ministra do Meio Ambiente, Catherine McKenna, anunciou que o Canadá deve cumprir a medida dez anos antes do planejado.

De acordo com a imprensa local, o fechamento das usinas de carvão deve ajudar a reduzir as emissões anuais em 61 megatoneladas. Assim, o país deverá contar com outras fontes para suprir a demanda. As renováveis devem ter prioridade, mas os canadenses também devem continuar com investimentos em energia nuclear.

A mudança não trará apenas influência no impacto ambiental do setor de energia, mas também deve modificar drasticamente a economia canadense, já que as usinas de carvão, como uma das principais fontes atuais, é responsável por muitos empregos e por segurar a economia em diversos estados.

Para impedir que o impacto econômico e social seja muito grande, o governo tem desenvolvido projetos para transformar as comunidades que dependiam do carvão em áreas úteis para a produção de energia renovável, gerando novas oportunidades de emprego e movimentando o capital.

 

Leia mais:

Reino Unido lança plano para banir carvão até 2025

O desafio da energia limpa nos países emergentes do BRICS

Energias renováveis já são mais baratas do que combustíveis fósseis

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar
Fechar

Esqueci minha senha

Digite seu e-mail e clique em "Procurar" para recuperar sua senha.
Sua senha foi enviada para o e-mail informado.
Não encontramos seu e-mail em nossos registros. Se você não tem uma conta Akatu, cadastre-se aqui.
Ocoreu um erro inesperado. Por favor, tente mais tarde.
enviando...