loader image
04.02.21 às 17:09

Máscaras: é importante usar e saber como descartar

Em um ano, estima-se que o Brasil descarte mais de 12 bilhões de máscaras. Saiba como usar, higienizar e descartar este acessório fundamental na prevenção do coronavírus
Máscaras Covid

Respeitar o distanciamento social, quando possível, e usar máscaras sempre que sair de casa é a melhor forma de prevenção contra o coronavírus. Mas no caso das máscaras é importante também conhecer os impactos associados ao seu consumo, da compra ao descarte. 

Além de escolher as máscaras mais adequadas para se proteger durante a pandemia, seguindo as orientações dos órgãos de saúde para a sua manutenção e uso, precisamos entender também como descartá-las corretamente. Pois se considerarmos que uma máscara de tecido pode ser lavada até 30 vezes e supondo que cada brasileiro tenha 5 máscaras desse tipo, em um ano seriam descartadas mais de 12,7 bilhões de máscaras no país. Isso equivale ao peso de quase 8 mil ônibus urbanos. Essas mesmas 12,7 bilhões de máscaras são suficientes para lotar mais de 9 mil apartamentos de 50m² do chão ao teto!

Com medidas simples podemos evitar que um objeto que salva vidas se torne um vilão para o meio ambiente, para a sociedade e, em particular, para quem maneja nossos resíduos.

“Ser um consumidor consciente não se limita a usar a máscara da forma correta para protegermos uns aos outros, mas também inclui prestar atenção no que acontece com as máscaras após o uso, evitando não só a contaminação de quem possa vir a ter contato com estes resíduos, como também a contaminação do meio ambiente”, destaca Larissa Kuroki, coordenadora de conteúdos do Akatu.

Qual máscara comprar?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o uso de máscaras médicas ou cirúrgicas, como o modelo NP95, para profissionais de saúde, pessoas com sintomas sugestivos de covid-19 (incluindo aqueles com sintomas leves) e pessoas que cuidam de casos suspeitos ou confirmados. A máscara cirúrgica também é recomendada para pessoas com mais de 60 anos ou de qualquer idade que tenham comorbidades, como doença cardiovascular ou diabetes, doença pulmonar crônica, câncer, doença cerebrovascular e imunossupressão.

Se você não faz parte dos grupos citados, prefira o uso de máscaras de tecido em vez das descartáveis, justamente para minimizar a geração e o  acúmulo de resíduos no planeta. A recomendação da OMS é que as máscaras de pano tenham três camadas de tecido: a camada exterior deve ser de  material resistente à água (polipropileno e/ou poliéster); a do meio, de material sintético ou algodão, para agir como filtro; e a interior de material que absorva a água, como o algodão.

Recentemente, França e Alemanha proibiram o uso de máscaras de pano e passaram a exigir o uso de máscaras profissionais pela população em geral, como forma de prevenção contra as novas variantes do coronavírus. Mas, por enquanto, a OMS mantém a recomendação de máscaras de tecido para todos, exceto profissionais da saúde e grupos de risco. No Brasil, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) também já se manifestou confirmando as orientações vigentes, “para evitar o desabastecimento dos serviços de saúde com este insumo [máscaras cirúrgicas] tão importante para a prestação de assistência aos pacientes com covid-19”.  

Recomendada para profissionais de saúde e grupos de risco. Usar por até 8h e descartar no lixo comum.
Como higienizar e cuidar da minha máscara?

Máscaras de pano são reutilizáveis e devem ser higienizadas antes de cada nova utilização. A OMS indica que esse tipo de máscara pode ser lavado até 30 vezes antes do descarte apropriado. Lave com sabão ou detergente, de preferência com água quente. Outras opções são lavar as máscaras com sabão ou detergente e água em temperatura ambiente, e depois colocar em água fervida por 1 minuto. Ou ainda deixá-las de molho em uma solução com 10% de água sanitária por no máximo 30 minutos e enxaguar bem antes de secar.

Lembre-se sempre de manejar sua máscara com as mãos limpas e removê-las do rosto pelas tiras laterais. Evite tocar na máscara enquanto estiver usando-a e não compartilhe suas máscaras com ninguém, nem mesmo com familiares e pessoas próximas.

Se você pertence ao grupo que deve usar máscaras cirúrgicas, saiba que elas são descartáveis, portanto não devem ser lavadas nem reutilizadas. A OMS recomenda que máscaras descartáveis e hospitalares sejam trocadas a cada 2 e 8 horas de uso, respectivamente. 

O modelo menos sustentável. Prefira as de pano ou tecido, reutilizáveis após higienização. Descarte no lixo comum.
Como descartá-la corretamente?

De pano, descartável ou hospital, o destino de todas as máscaras é o mesmo: o lixo comum. Mas antes de descartá-las,  tome alguns cuidados.

Para evitar que suas máscaras contaminem as pessoas que manejam nossos resíduos, tanto na coleta domiciliar quanto nos aterros sanitários, coloque as máscaras usadas em uma sacola e escreva com uma caneta ou em um adesivo que se tratam de máscaras usadas. Após isso, descarte na lixeira de resíduos orgânicos ou no lixinho do banheiro. 

Evite jogar máscaras em lixeiras na rua para impedir que catadores de resíduos sólidos tenham contato com materiais contaminados. Pela mesma razão, não descarte máscaras junto com materiais destinados à reciclagem. Se você está na rua, descarte sua máscara no lixo de um banheiro ou deixe para jogar no lixo comum ao chegar em casa. E nunca descarte-a na rua, ou ela poderá acabar em rios e oceanos ou entupindo bueiros. A Sociedade Americana de Química estima que 129 bilhões de máscaras e 65 bilhões de luvas são descartados por mês no mundo. É muita coisa, né? Podemos fazer a nossa parte para impedir que este objeto que nos protege se torne uma ameaça para o planeta.

Lave após cada uso, com água quente e sabão. Descartar no lixo comum após 30 lavagens.
Veja também