29.09.22 às 18:12

Abra a sua mente para o consumo consciente

Fazer escolhas de consumo que gerem impacto positivo pode ser muito mais simples, econômico e transformador do que você imagina

Você (ainda) acha que ter um estilo de vida mais saudável e sustentável é difícil, é caro ou que não faz muita diferença para o planeta e para as pessoas? No Dia do Consumo Consciente, celebrado em 15 de outubro, queremos convidar você a abrir a sua mente. 

Nós, brasileiros, estamos cada vez mais convencidos de que o nosso jeito de consumir importa: somos mais de 50 milhões de consumidores engajados e conscientes, de acordo com os estudos do Akatu. E mais: 86% dos brasileiros afirmam desejar reduzir seu impacto individual sobre o meio ambiente, contra 73% da média mundial, como indica a pesquisa Vida Saudável e Sustentável 2021, promovida por Akatu e GlobeScan.

Se você é um deles, vamos junt@s! Descubra como ser um consumidor cada vez mais consciente e entenda os benefícios que isso gera para todos nós e o planeta! 

O consumo consciente é simples.

Adotar o consumo consciente não exige grandes esforços. Pelo contrário. Na realidade, provavelmente você já pratica o consumo consciente em alguma tarefa do seu dia a dia, mas nem percebe. 

Hábitos simples, como desligar a luz ao sair de um cômodo, fechar a torneira ao escovar os dentes e separar e descartar os resíduos na lixeira são ações quase banais, mas que representam impactos positivos para nós mesmos, para a sociedade, para a economia e para o meio ambiente. 

Mas você pode ir além, sem fazer muita força. Por exemplo:

Diminua o tempo do banho. Assim, você poupa energia elétrica e água — e ainda economiza na conta de luz no fim do mês.

Retire os aparelhos da tomada. Mesmo em modo stand-by, eles consomem energia elétrica. Tirar da tomada quando não estiver utilizando é poupar na conta de luz ao fim do mês.

Recuse sacolas plásticas. Optar por sacolas retornáveis ou caixas de papelão é minimizar o desperdício de matérias-primas, a geração e o acúmulo de resíduos.

Evite o desperdício de alimentos. Comprar e cozinhar só o que vai comer ou reaproveitar as sobras em uma nova refeição é evitar a perda de alimentos que poderiam alimentar outras pessoas.

Se 1/3 da população brasileira diminuir pela metade o seu desperdício de alimentos, deixaremos de descartar quase 1,5 milhão de toneladas de comida. Isso equivale ao peso de 112 milhões de cestas básicas — ou seja, 12 cestas básicas, uma por mês, para 9 milhões de famílias se alimentarem ao longo de um ano.

Produtos sustentáveis podem ser acessíveis.

Se engana quem pensa que todos os produtos sustentáveis custam o olho da cara. Se considerarmos os custos ambientais (como o consumo de matérias primas e as emissões de gases poluentes) e questões como a durabilidade, muitos produtos sustentáveis têm o melhor custo-benefício para você e para o planeta.

A conta é simples: ao gastar um pouco mais em algo de melhor qualidade ou que dura mais, a economia vem, pois você não terá de comprar um novo produto num curto período de tempo. Da mesma maneira, se investe em produtos sem agrotóxicos (os orgânicos), microplásticos ou outras substâncias nocivas, está preservando o meio ambiente ao seu redor e a sua saúde — e isso não tem preço. 

É possível ser um consumidor consciente e ainda economizar. Saiba como:

Verifique rótulos e compare preços. A oferta de marcas e produtos sustentáveis está cada vez maior e isso faz com que eles se tornem mais acessíveis que no passado. Já existe uma grande variedade de produtos de beleza, higiene e limpeza sem substâncias prejudiciais em sua composição, como amônia, chumbo e hipoclorito, por exemplo. Se atente aos rótulos para de fato consumir de uma marca socioambientalmente responsável, que cuida da sua cadeia produtiva e dos seus colaboradores também.

Compre no mercado de segunda mão. Ao adquirir roupas, acessórios, livros ou móveis em brechós e lojas de produtos usados, você poupa os recursos naturais e emissões associados à produção de um novo item, estende a vida útil de um bem em boas condições e economiza: comprar peças de grifes no mercado de segunda mão, por exemplo, sai bem mais em conta do que um item novo na loja.

Prefira alimentos orgânicos. Nada se compara ao sabor e aos nutrientes de uma alimentação saudável. Evite alimentos com agrotóxicos — o uso indiscriminado dessas substâncias prejudica o solo, as nascentes, a biodiversidade, a sua saúde e a saúde dos trabalhadores rurais, que são cotidianamente expostos a elas. Opte por frutas, legumes e vegetais da estação, produzidos por pequenos produtores na sua região.

Atitudes individuais importam e fazem a diferença.

Quem diz que adotar hábitos de consumo consciente não muda o mundo está por fora. Se uma única pessoa praticar ações com melhor impacto por um longo período de tempo, estará contribuindo positivamente para a preservação de recursos naturais, para a redução da pegada de carbono da humanidade e para uma menor geração de resíduos. Pense bem: se você cozinha todos os dias e acaba desperdiçando um pouco de alimentos, imagine a quantidade de comida que você “joga fora” durante mais de 50 anos de vida adulta?

Além disso, podemos servir de exemplos positivos para as pessoas ao nosso redor, como parentes, amigos e colegas. Sozinhos, nosso impacto é pontual. Mas, juntos, podemos contribuir ativamente pela preservação dos ecossistemas, pelo combate do aquecimento global, pelo bem-estar de todas as pessoas e por um desenvolvimento mais sustentável. Entenda:

Cada brasileiro produz em média 1kg de resíduos por dia, em um total de quase 80 toneladas de resíduos “jogados fora” todos os anos, de acordo com a Abrelpe. Todos esses resíduos descartados anualmente poderiam formar uma muralha de 13 metros de altura ao longo dos 7,4 mil quilômetros de extensão litoral brasileiro. Mas, se cada um de nós reduzir o consumo de embalagens e impulsionar a reciclagem, podemos diminuir consideravelmente essa montanha de resíduos.

Ao mesmo tempo, cada brasileiro consome diariamente, em média, 152,1 litros de água em suas atividades cotidianas, muito mais do que os 50 a 100 litros recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Por isso, é fundamental fazer a sua parte. Se apenas 10 milhões de brasileiros escovarem os dentes 3 vezes ao dia durante um mês, com a torneira fechada, usando somente um copo d’água para enxague, seria possível economizar o equivalente a uma hora do volume de água que cai pelas Cataratas do Iguaçu, o maior conjunto de quedas d’água do mundo.

Viu como o consumo consciente pode ser simples, barato e fazer toda a diferença?

Saiba mais sobre como adotar hábitos com o melhor impacto em áreas como água, alimentação, biodiversidade, crise climática e resíduos no nosso guia digital Primeiros Passos!

ESPECIAL: Contamos com a participação de 13 influenciadores e criadores de conteúdo neste vídeo que traz dicas para você ser mais saudável e mais sustentável no seu dia a dia. Assista!

Veja também