loader image
15.08.18 às 15:00

Natura e Itaú Unibanco lançam plataforma Programa Compromisso com o Clima

O objetivo é estimular novos parceiros e fornecedores a neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa para combater o aquecimento global.

Natura e Itaú Unibanco, com o apoio do Instituto Ekos Brasil, lançam a plataforma Programa Compromisso com o Clima, no dia 15 de agosto. O objetivo é convidar novos parceiros e fornecedores a neutralizar suas emissões de gases de efeito estufa (GEE), por meio de projetos nas áreas de energia, agricultura, floresta e tratamento de resíduos, entre outros. O Programa busca ainda otimizar recursos, ao compartilhar conhecimentos e boas práticas na seleção de projetos socioambientais, conectando-os aos investidores, ao mesmo tempo em que contribui para viabilizar iniciativas de mitigação dos efeitos climáticos.

As empresas interessadas em participar do Programa Compromisso com o Clima podem acessar a Plataforma Ekos Social, onde estão disponíveis informações sobre os projetos. É possível apoiá-los por meio da compra de créditos de carbono, além de encontrar mais detalhes sobre os benefícios socioambientais dessas iniciativas.

Entre as ações selecionadas e aprovadas em 2017 estão o projeto REDD+ MANOA, que foca na capacitação de membros de associações locais para a preservação da região florestal de Manoa, em Rondônia. Outro projeto é o Fogões Eficientes, do Instituto Perene, que tem o objetivo de substituir fogões rudimentares por sustentáveis em milhares de casas no Recôncavo Baiano, reduzindo significativamente o uso da queima de madeira. Mais um projeto, seguindo essa mesma linha, é o Cerâmica CGM, no município de Crato (CE), onde os fornos a lenha foram trocados por outros que funcionam com combustíveis renováveis (como poda de cajueiro e coco de babaçu). E por fim, há também o Projeto do Complexo Fotovoltaico Floresta, que promove o uso de energia renovável de baixo impacto, aproveitando o potencial da região litorânea do Rio Grande do Norte para energia solar. Mais detalhes sobre esses e outros projetos podem ser vistos na Plataforma Ekos Social.

Projetos como esses são importantes na transição para uma produção mais sustentável. Há necessidade de transparência no reconhecimento pelas empresas de que seus processos produtivos e seus produtos ou serviços emitem GEE, trazendo riscos à vida no planeta, incluindo aos próprios negócios. Nesse sentido, o setor empresarial deve ser não somente um ator social que “compense” seus impactos negativos em termos de emissão de GEE, mas também protagonize a promoção das mudanças necessárias a reduzir rapidamente tal emissão, como parte do desafio enorme para empresas, governos e sociedade civil global na tentativa de cumprir os objetivos do Acordo de Paris.

Veja também
Quer ouvir essa página? É só dar o play abaixo!