17.08.22 às 12:00

Itaú firma contrato para abastecer 80% de suas unidades com energia renovável

Acordo com a Enel X prevê a instalação de 46 usinas fotovoltaicas de geração distribuída

A Enel Brasil, por meio da Enel X, e o Itaú Unibanco firmaram, nesta semana, contrato para o desenvolvimento e construção de 46 usinas fotovoltaicas de geração distribuída em 14 localidades do Brasil. Com capacidade instalada total de 54,7 MWp, as plantas serão responsáveis por gerar energia limpa para 1.557 unidades do Itaú. O contrato de geração solar distribuída com o Itaú é o maior da Enel X no mundo e reforça a estratégia do Grupo Enel de atuar como facilitador sustentável da transição energética nos países em que a companhia atua, fomentando o uso de energia verde, eficiente e segura entre seus clientes e parceiros comerciais. Além disso, é mais uma iniciativa do Itaú em prol do compromisso de se tornar carbono zero até 2050. O acordo com o Itaú tem prazo de 10 anos, com possibilidade de prorrogação.

Nicola Cotugno, Country Manager da Enel Brasil, explica que a eletrificação do consumo, com a substituição de combustíveis fósseis por renováveis, apoiada na eficiência energética é o caminho a ser trilhado pelas empresas e pela sociedade em todo o mundo e ressalta que o setor elétrico tem papel fundamental para apoiar essa estratégia. “O acordo com o Itaú demonstra o compromisso de dois grandes players em direção à meta de zerar as emissões de carbono. Nossa missão é auxiliar empresas de todos os portes e segmentos a atingirem suas metas de descarbonização, em linha com a urgência que o tema exige para frear o aquecimento global”, afirma Cotugno. “Oferecemos aos nossos clientes soluções integradas que garantem uma gestão inteligente e sustentável do consumo de energia, possibilitando o controle de custos, previsibilidade e redução de impactos ambientais”, conclui. 

“Este é mais um avanço importante na agenda ESG do Itaú Unibanco, relacionado, principalmente, ao nosso compromisso Net-Zero. Para além de questões econômicas, a parceria Itaú e Enel promove impacto positivo para o meio ambiente, além de reforçar a importância do uso de energia renovável no Brasil”, comenta Luciana Nicola, diretora de Relações Institucionais e Sustentabilidade do Itaú Unibanco.

O projeto de geração distribuída reafirma o compromisso sustentável de ambas as empresas, uma vez que vai evitar a emissão anual de cerca de 10 mil toneladas de CO². As usinas solares de geração distribuída serão instaladas pela Enel X nas localidades do Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Ceará, Pará, Santa Catarina, Rio Grande do

Sul, Espírito Santo, Mato Grosso e Distrito Federal. Ao todo, serão mais de 75 mil painéis solares instalados e a previsão é que as usinas iniciem as operações em cerca de 12 meses. 

Por meio da Enel Trading, comercializadora de energia da Enel no mercado livre, o Itaú também firmou contratos de compra de energia elétrica com duração de 8 anos e quase 1 TWh de energia comercializada. 

Ainda entre as entregas para o Itaú, a Enel X irá implementar o sistema UBM (Utility Bill Management), que digitaliza a gestão de pagamentos da companhia, organizando em uma plataforma única todas as informações sobre contas de prestadoras de serviços, além de permitir o acompanhamento de consumo de energia e água de todas as unidades da empresa e monitorar indicadores de sustentabilidade. A gestão das faturas mensais é um desafio para empresas dos mais diversos portes e segmentos e se torna ainda mais trabalhosa para aquelas com operações distribuídas em todo o País, como é o caso do Itaú. A UBM da Enel X irá monitorar por mês as contas de utilities de cerca de 3100 unidades do banco, ou seja, mais de 6 mil faturas por mês.  

A plataforma do UBM também permite o acompanhamento do resultado de iniciativas desenvolvidas pelo Itaú com foco na redução do consumo de energia, como a modernização da iluminação das unidades, a instalação de sistemas de geração distribuída e a compra de energia no mercado livre, o que permite ter uma visão geral sobre a energia compensada, injetada e os custos evitados. Outros benefícios do UBM são o monitoramento de indicadores de sustentabilidade, aprimorando e agilizando o gerenciamento de metas, consumos e emissões. Além de concentrar as informações sobre gasto de água e energia, por exemplo, a plataforma agrega dados de uso de emissões e recursos para calcular e reportar a pegada de carbono.   

A Enel X também irá realizar consultoria e obras de infraestrutura em mais de 450 agências do Itaú para adequação ao mercado livre, seguindo os prazos regulatórios, com foco na redução dos custos e na gestão inteligente de energia. Além disso, a empresa do Grupo Enel atuará na coordenação do uso de energia no mercado livre de outras 564 unidades.

“O acordo com a Enel nos possibilitará avançar de forma significativa no trabalho que temos conduzido para ampliar o uso de fontes renováveis em nossas instalações. Levaremos o uso de energia solar para um novo patamar no mercado brasileiro”, afirma Francisco Vieira, diretor de Operações e Infraestrutura de Agências do Itaú Unibanco. “Iniciativas como essa têm duas finalidades claras: a primeira é a eficiência econômica, pois nos garante maior previsibilidade nos custos de energia, ao evitar oscilações tarifárias, mas o principal objetivo é atender o compromisso que o Itaú tem com a sustentabilidade”, completa Claudio Arromatte, diretor de Patrimônio e Compras do Itaú Unibanco.

Veja também